“Por trás de todo sofrimento existe uma metodologia divina e uma pedagogia”

Publicado em: 27 março 2021 ás 16:31:35

Afirma o pastor Jehan Porto em entrevista à Cadesc

 

Por Monique Suriano

A Catedral das Assembleias de Deus em Santa Cruz promoveu neste mês de março a VI Escola Bíblica de Obreiros e Membros (EBOM), com o objetivo de orientar o povo de Deus sobre aspectos importantes do comportamento cristão na família e na sociedade. Quem ministrou a primeira palestra foi o conferencista e escritor, pastor Jehan Porto, que falou sobre o tema “Fazei Discípulos”. A equipe de Jornalismo da Cadesc aproveitou a oportunidade para saber mais sobre o papel da igreja na sociedade em tempos de pandemia e como o cristão deve encarar a crise. Confira!

 

CADESC- A pandemia da Covid-19 é um sinal da volta de Jesus? Um ato divino punitivo ou um modo de Deus para chamar a igreja ao despertamento espiritual?
Pr. Jehan Porto-
Nós estamos vivendo o princípio das dores, independente da vertente teológica, porque o mundo está gemendo. E não é só agora com a pandemia, mas é obvio que com a pandemia isso fica mais perceptível. Então sim, é um sinal. Outra coisa que devemos observar é que por trás de todo sofrimento existe uma metodologia divina e uma pedagogia. Metodologia porque Ele estabelece um método que é levar o homem a refletir. O sábio Salomão disse que a reflexão vem num momento de morte, num velório, que leva a gente a refletir mais do que num momento de festa. A Pedagogia está imprimindo um ensino e a pessoa deve absorver esse ensino. Se nós fomos empurrados para dentro de casa, para um confinamento não existe melhor tempo para se buscar a Deus do que esse agora. Porque teoricamente você está dentro de casa, e foi dentro de casa que a igreja nasceu. Então eu creio que Deus está nos permitindo voltar ao projeto original onde a igreja começa em casa.

 

CADESC- Quais foram suas maiores percepções nesse momento de pandemia?
Pr. Jehan Porto- Na política aumentou minha percepção de maldade, de frieza, de muitas coisas ruins. E na parte social eu percebi que o vírus, que é invisível, microscópio, só amplificou uma realidade que já existia. A gente já não se tocava, a gente já não estava juntos, nós conversávamos através do celular. As pessoas estavam se satisfazendo através de um like, de uma curtida. Cada pessoa em uma parte da casa com o celular. Na hora da refeição, cada um com o celular. Eu cansei de ver famílias aguardando o pedido no restaurante e cada um usando o celular. Agora a gente não pode se tocar, se cumprimentar, não tem mais calor, afeto, mas isso já não existia. Quando Deus criou o mundo, Ele só disse haja. Quando criou o homem, Ele disse façamos: Ele tocou.  O homem não foi feito pelo falar, foi feito pelo tocar. O homem não foi feito para ficar sozinho. É por isso que as cadeias usam a solitária como forma punitiva, e muitos mudam de comportamento para não irem para lá.

 

CADESC- Qual o papel da igreja na sociedade, principalmente nesse tempo?
Pr. Jehan Porto- O mesmo de antes. Quando a gente fala da igreja como sal, precisamos primeiro entender que naquela cultura o sal era usado principalmente para conservar o alimento porque não tinha geladeira. É a igreja que tem esse papel de conservar o que de bom tem na sociedade e impedir que ela se estrague. Como luz. A igreja tem o papel de trazer iluminação sobre pessoas que estão em escuridade. A igreja é a única que nesse momento pode ser o farol para mundo. O governo não pode, o Supremo não pode. Nós somos luz.

 

Quais são os prejuízos de uma igreja fechada?
A igreja somos nós e nós nos reunimos em templos. O prejuízo é grande porque ainda que a gente esteja fazendo o que desde o início nos foi proposto, que é obedecer às autoridades, às exigências sanitárias, se abdicar, você não vê essa máxima em outros lugares como o supermercado, o metro, ônibus. Não é ser negacionista de jeito nenhum, porque nós somos um povo que obedece. Só que a igreja fechada está impedindo que as pessoas que precisam de ajuda nos procurem. Como corpo nós temos uma missão, assim como o supermercado tem a sua missão. O mercado não pode dar o que nós damos, nós também não podemos dar muito o que o mercado dá. Mas aquilo que nós damos é superior ao que o mercado dá. O prejuízo é grande e pra mim, espiritualmente falando, isso já são as primeiras amarras de um vislumbre de comunismo no mundo, onde cria-se uma plataforma para apresentar um líder que domine tudo. Porque não é só fechar a igreja, no meu estado tem produtos que a gente não pode comprar. Eles escolhem o horário que eu tenho que ir para a cidade e o horário que eu tenho que voltar. Já existe um toque de recolher, um sítio. Isso não está na Constituição. O judiciário e a Organização Mundial de Saúde vêm constantemente dizendo que a igreja tem contribuído para a proliferação do vírus; isso é espiritual.

 

Nós temos visto muitos cristãos se perdendo nessa pandemia. Gente que se afastou da igreja, gente com depressão, com ansiedade, com medo, com síndrome do pânico. Por que isso está acontecendo?
O mundo físico e o espiritual são constituídos por leis. Essas leis, no sentido metafísico, são percebidas como ondas. Nós somos seres sensitivos, somos um espírito, que temos uma alma e habitamos num corpo. Nós não somente capitamos o ruído físico, mas também o espiritual. No espiritual nós temos duas estações: a estação do céu e a estação do inferno. Essas duas estão emitindo vozes. A voz do céu vem pela Palavra: a fé vem pelo ouvir e o ouvir a Palavra de Deus. A estação do inferno é materializada através do que a mídia e do que as pessoas que não conhecem a Deus falam. Então, se eu estou ouvindo a Palavra, eu continuo tendo fé e permaneço vencendo o mundo, porque a fé é a arma que vence o mundo. Mas se eu estou nessa frequência de desgraça, de morte, o medo vem. Se o medo entrou na minha mente, ele pode me dominar. Vai depender de qual frequência você está. Palavras negativas fazem até homens de Deus entrarem em depressão.

 

Como o cristão deve se adequar às mudanças sociais?
A Palavra de Deus será sempre o Norte. Por isso que é preciso meditar de dia e de noite. A Palavra é o Norte, é a bússola, é o centro. Não tem como se perder, porque você sabe o que está por vir. O diabo não tem o poder de nos tocar, só toca se Deus permitir como permitiu com Jó. Como o diabo não pode te tocar, ele envia uma voz na sua mente. Cabe você absorver ou não essa voz.